iris_1

Biblioteca Digital de Cartografia Histórica:
sobre a necessidade de meta-dados expandidos e compartilhados

Íris Kantor

Universidade de São Paulo

[Resumo]


Iris Kantor é Professora da Universidade de São Paulo, no Departamento de História, onde leciona e conduz pesquisas nas áreas de História Ibérica, História Colonial e Cartografia Histórica. Doutora em História pela USP, fez pós-doutorado em Yale (2006-2007), e vem conduzindo diversos projetos financiados pelo CNPq, pela FAPESP, CAPES e FCT. Foi curadora de exposições cartográficas no Museu Paulista, na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Instituto de Estudos Brasileiros (IEB-USP). Atualmente, coordena o Laboratório de Estudos de Cartografia Histórica, na Cátedra Jaime Cortesão , um projeto que inclui a digitalização de mapas históricos raros, alguns dos quais se incluem na Biblioteca Digital de Cartografia Histórica da USP.  /  Iris Kantor is a professor at the Department of History in the University of São Paulo, where she lectures and researches on Iberian History, Colonial History and Historical Cartography. A PhD in History by the University of São Paulo, she conducted post-doctoral studies at Yale (2006-2007), and conducts research in several projects funded by CNPq, FAPESP, CAPES and FCT. She was curator of cartography at the Museu Paulista, at the Pinacoteca do Estado de São Paulo and at the Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) at USP. At present, she coordinates the Laboratório de Estudos de Cartografia Histórica (Historical Cartography Studies Laboratory), at Cátedra Jaime Cortesão , a project that includes the digitazation of rare historical maps, some of which can be seen at the University’s Digital Library of Historical Cartography.
filler

filler

Resumo

Tomarei como ponto de partida a experiência de construção da Biblioteca Digital de Cartografia Histórica da USP (mapashistoricos.usp.br), inaugurada em 2009, para questionar o lugar dos mapas na cultura histórica contemporânea. Qual a relevância da documentação cartográfica na reconstrução das espacialidades pretéritas? Quais as possibilidade de dialogo com as geotecnologias? Como transpor as informações dos mapas ditos pré-científicos para os sistemas geográficos de informação sem deformar as lógicas espaciais expressas segundo princípios não-euclidianos? Nesse sentido, um dos propósitos do trabalho realizado pelos pesquisadores do Laboratório de Cartografia Histórica da Cátedra Jaime Cortesão (LECH) tem sido situar os documentos cartográficos em seus contextos de produção, circulação e consumo, recuperando os trânsitos e sucessivas apropriações das imagens… O entrecruzamento de uma multiplicidade de contextos políticos, institucionais e práticas sociais nos permite compreender o jogo social que deu e dá existência material, estética, sentido e valor aos mapas.


3 Respostas para “

  1. Pingback: Seminário Humanidades Digitais no Brasil | #HDbr – Programa | Humanidades Digitais·

  2. Pingback: Programa | I Seminário Internacional Humanidades Digitais·

  3. Pingback: Segundo dia, 24/10 | I Seminário Internacional Humanidades Digitais·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s